Pneu Best

7 dicas para aumentar a vida útil dos pneus do seu veículo

Dicas aumentar a vida útil dos pneus

Os pneus são a base da sustentação e da mobilidade de qualquer veículo. Você já parou para pensar que eles são as únicas peças que têm contato direto com o chão e o quanto isso pode ser desgastante?

Dependendo da intensidade do uso do veículo e dos cuidados que cada proprietário tem, o tempo que os pneus podem ser utilizados com segurança varia de meses a anos.

Quando foi a última vez que você verificou se a calibragem está dentro do nível ideal, se os bicos estão intactos ou se a saliência localizada no sulco não está no mesmo nível da banda de rodagem?

Se está atento a tudo isso, você provavelmente está cuidando para que a vida útil dos pneus do seu carro seja prolongada. Para responder com a máxima certeza, no entanto, confira se está seguindo os 7 passos para prolongar ao máximo a vida útil do item.

1 Calibragem em dia

Estudos comprovam que quando os pneus estão rodando com aproximadamente 3 libras abaixo do indicado, a redução da vida útil do item pode chegar a 10%. Já com uma pressão de 5,8 libras abaixo do ideal, a vida útil do pneu pode cair até 25% e o consumo de combustível sobe mais ou menos 2%.

Só que assim como pressão de menos, pressão demais também é problema. Manter os pneus com mais libras do que o indicado significa prejudicar o contato do veículo com o solo, a aderência é reduzida e os riscos de acidente são aumentados. A pressão além da conta também favorece o desgaste da parte central do pneu, aumentando consideravelmente as probabilidades de um estouro.

É por esses e outros fatores que manter a calibragem correta dos pneus é um compromisso que você deve levar muito a sério. O indicativo das libras varia de um veículo para outro, para saber qual é o número ideal para o seu veículo, consulte o manual do proprietário.

Cheque a pressão dos pneus semanalmente (ou no máximo a cada 15 dias), respeitando a recomendação do fabricante, que também está indicada no manual do proprietário. Antes de fazer a calibragem, não rode com o carro por mais do que 3 km, pois o ideal é que os pneus estejam frios. Caso perceba que os pneus estão perdendo a pressão muito antes de 15 dias, investigue imediatamente a causa. 

Sempre que for calibrar os pneus, lembre-se de verificar também o estepe. Modelos de marcas como BMW, Mercedes-Benz, Audi e Porsche, por exemplo, já não possuem mais estepe, mas rodam com um tipo de pneu específico, chamado de run flat. Os pneus dessa categoria têm reforços estruturais nos flancos, ombros e talões. 

Quando está totalmente sem ar pressurizado em seu interior, o peso do veículo fica apoiado nesta camada reforçada. Com isso é possível rodar em segurança por até 80 quilômetros, sem que ocorra o detalonamento. 

2 Não descuide do alinhamento e balanceamento

Obstáculos fazem parte da rotina de todos os motoristas. Quando você cai em um buraco sem querer, por exemplo, os eixos e a suspensão do veículo sofrem com o impacto e isso também pode interferir na vida útil dos pneus. 

Para saber se o veículo está desalinhado, fique atento aos sinais da direção: se o volante estiver puxando para um dos lados, é sinal de que chegou a hora de alinhar os pneus. Se, no entanto, ao atingir velocidades mais altas você notar que o veículo trepida é porque chegou a hora do balanceamento.

Problemas na suspensão e em componentes como os amortecedores também podem reduzir a vida útil dos pneus. É por isso que além do alinhamento e balanceamento você nunca deve descuidar da manutenção geral do seu veículo.

3 Respeite a capacidade de carga 

Você já consultou a capacidade máxima que os pneus do seu veículo suportam antes que todos os assentos sejam ocupados e o bagageiro lotado?

Muitas pessoas ignoram esse detalhe, mas ele também é importante quando o assunto é prolongar a vida útil dos pneus e zelar pela segurança de todos os ocupantes do veículo. 

Todo pneu possui um limite de carga estipulado pelo fabricante. Esse valor pode ser facilmente encontrado na própria lateral do pneu, em números que vão de 70 a 100 e que significam a capacidade individual que cada componente é capaz de suportar. 

4 Faça rodízio para aumentar a vida útil dos pneus

Pneus dianteiros e traseiros trabalham em situações diferentes e isso provoca o desgaste desigual. Para aumentar a vida útil dos pneus, e também o desempenho, fazer o rodízio conforme recomendação do fabricante é outra prática aliada da durabilidade, pois garante que o desgaste ocorra de forma regular.

Em média, essa ação deve ser realizada entre 5 e 10 mil quilômetros rodados. O procedimento deve ser sempre executado por um profissional uma vez que, caso as trocas sejam feitas de forma incorreta, o rodízio favorecerá o desgaste prematuro do componente.

5 Mantenha as válvulas de segurança protegidas

Quando você faz a troca dos pneus também costuma substituir as válvulas de segurança? Por conta da incidência de sol na borracha, elas ressecam e trincam com o passar do tempo, levando a perda de pressão nos pneus.

Se quando funcionam inadequadamente esses pequenos itens já favorecem a perda de pressão, imagine na sua ausência? 

6 Condução leve

O modo como você dirige diz muito sobre a durabilidade dos pneus do seu veículo. Acelerações e frenagens bruscas desgastam mais os pneus, além de prejudicarem o sistema de freio e aumentarem o consumo de combustível.

7 Não mude as medidas de rodas e pneus

As especificações de tamanho e largura das rodas e pneus vêm da fábrica. Elas significam que o veículo foi projetado e testado para obter o máximo desempenho sob as condições planejadas, devendo ser mantidas para não acelerar o desgaste.

Tomando todos esses cuidados você irá aumentar a vida útil dos pneus do seu veículo pelo máximo de tempo possível. E, quando chegar a hora da troca, aposte na PneuBest, onde você encontra os pneus das melhores marcas com os melhores preços.