Pneu Best

Carro usado: como saber se ele já foi batido?

Dicas carro usado batido

Será que o passado do carro usado que você está de olho o condena? Se o veículo já sofreu uma colisão que afetou a parte estrutural ou foi vítima de enchente você certamente não estará fazendo um bom negócio. Ao contrário, pequenos reparos (se bem realizados) não vão comprometê-lo.

Um dos maiores temores de quem está avaliando carros usados para a compra é justamente ser enganado por boas condições aparentes. Você sabe quais são as melhores práticas para que o negócio não se transforme em dor de cabeça?

Afinal, tem como saber se o carro já foi batido? Saiba que é possível reconhecer danos mais graves observando pequenos detalhes, veja quais são eles!

Simetria

O normal é que o carro mantenha um alinhamento natural, do capô, passando pelas laterais e até chegar ao porta-malas. 

Qualquer falha neste quesito revela que o veículo é um forte candidato a ter sofrido uma batida mais grave. Portanto, qualquer desproporção que fuja do alinhamento natural merece a sua atenção.

Não hesite em abrir e fechar o capô para ver se ele encaixa corretamente. Essa verificação vale também para as portas laterais e para a tampa do porta-malas. Porta-malas muito aberto de um lado, é mais um indício de batida.

Abrir o capô

O ato de abrir o capô pode ser revelador. É que por meio dele você poderá identificar se o carro passou por uma batida frontal. 

Ao abrir o capô você deve observar tanto o alinhamento os quanto sinais de ferrugem nas soldas, já que as de fábrica dificilmente vão enferrujar.

Na parte onde está o motor, observe se há alguma solda entre o painel e o pára-lamas. Junções com diferenças também são indícios de batida frontal.

Observar o local onde fica o estepe

Este é mais um ponto estratégico para identificar que o veículo pode ter passado por uma colisão grave. Retire o estepe do carro e confira em detalhes. Formato oval e pontos de solda são sinais que denunciam batidas mais sérias.

Cofre do motor

Principalmente em caso de colisão dianteira, o cofre do motor é uma das áreas que mais revela a existência de reparos prévios e deformações. 

Ao analisar esse item, é importante observar se os parafusos que prendem os faróis na carroceria foram removidos e se o conjunto óptico tem o mesmo alinhamento dos dois lados. 

Fique atento ainda às etiquetas informativas: elas devem estar nas posições originais, indicadas pela montadora. A ausência do item pode indicar que o veículo sofreu uma colisão frontal.

Diferenças na pintura

Quando o carro sofre algum sinistro, geralmente só se pinta a parte trocada. É por isso que avaliar o carro em um ambiente bem iluminado, de preferência por luz natural, ajudará você a identificar diferenças de brilho e tonalidade na pintura.

Observe se a cor da carroceria segue o mesmo padrão de tonalidade ou se algumas peças parecem mais novas do que outras. Fique atento principalmente a partes como capô e pára-lamas.

Número do chassi

A numeração do chassi é outro item de extrema importância para verificar. Sinais de ferrugem no local são um bom motivo para desconfiar, mas pior ainda pode ser a presença da sigla “REM”, que significa “remarcado”, abaixo da sequência de números.

Um carro é remarcado pelo Detran quando sofreu uma batida que afetou a sua estrutura ou quando foi roubado e houve tentativa de adulterar a numeração.

Laudo cautelar

Por lei, o laudo cautelar é um dos documentos que deve ser apresentado pelo vendedor para a transferência da titularidade do veículo.

Este documento revela, por exemplo, a situação de partes estruturais do carro, da mecânica, autenticidade da documentação e da placa, condição do chassi, do motor e também se o carro passou por algum sinistro. 

Análise profissional

Comprar um carro usado pode ser um bom negócio, desde que você tome todos os cuidados. Uma precaução adicional importante é desconfiar de valores muito abaixo das tabelas e dos preços praticados pelo mercado, já que essa costuma ser a estratégia preferida para se livrar de um carro com histórico problemático.

Se o sinistro afetou a estrutura, o veículo dificilmente manterá a estabilidade, consumo e dirigibilidade. Por isso, antes de fechar um mau negócio, não hesite em levar o carro para a análise de um profissional. Funileiros, por exemplo, possuem olhar clínico para identificar possíveis batidas e avaliar se o carro possui problemas estruturais.

Gostou das nossas dicas? Aproveite para compartilhar com aquele amigo que também está pensando em trocar de carro!